O Pão mais saudável de Portugal

“Iniciativa «Coração São» promove qualidade de alimento
através da redução de teor do sal

2013-05-31
A produção de um alimento saudável garantiu à padaria«Arte Branca – Panificação, Lda», em Matosinhos, o prémio de melhor pão em valor nutricional e sabor a nível nacional – vencedor da Promoção «Coração São» cujo prémio é de 7500 euros.A iniciativa deriva da intenção de promover a redução do teor de sal no pão, por parte das empresas da indústria da panificação em Portugal, a Delegação Centro da Fundação Portuguesa de Cardiologia (DC-FPC), em parceria com o Museu do Pão.

A par com este reconhecimento, a padaria Arte Branca tem a possibilidade de apoiar uma instituição de solidariedade social, tendo decidido atribuir o prémio monetário à instituição Missionários de S. João Baptista.O prémio «Coração São» nasceu com a missão de promover a qualidade do Pão Português, sensibilizando para a necessidade de o tornar mais saudável, nomeadamente através da redução de teor do sal. Também o teor de fibra, gordura, açúcar e sapidez pesam na qualidade do Pão Português e, consequentemente, na definição de uma dieta alimentar mais saudável em Portugal.AVC e ingestão média diária de sal

Um estudo coordenado por Jorge Polónia, da Faculdade de Medicina Universidade do Porto, revelou que, se cada português reduzisse a ingestão de sal em um grama por dia, poderiam evitar-se 2.640 mortes por ano e que, se essa redução atingisse os 4 gramas diários, os ganhos em saúde poderiam traduzir-se em menos 7 mil mortes anuais. Segundo o mesmo autor, Portugal encontra-se no topo da tabela dos países europeus em que é maior a relação entre a mortalidade por acidente vascular cerebral e a ingestão média diária de sal.

A iniciativa apresentou uma dimensão nacional, tendo contado com a participação de padarias de todo o país, incluindo as que já integram o projecto «Pão. Come» da ARSC. Reunidas neste projecto, em prol de um pão mais saudável, as padarias participantes vêm reforçar a mensagem, transmitida por estudos recentes, de que a redução de 20 a 35 por cento de sal na alimentação pode diminuir, em 25 por cento, o risco de doença cardiovascular e traduzir-se numa redução da sua mortalidade, em cerca de 20 por cento.

O júri foi representado por membros da Dc-FPC, Museu do Pão, Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP), Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (FFUC) e Universidade de Aveiro (UA).”

Noticia retirada de Ciências Hoje.

Deixe o seu cometário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s